7 de ago de 2009

Para relaxar (ou o meu presente de dia dos pais)

Eu sempre fiquei meio encafifada com essa história de presentes para relaxar. Mais exatamente com esse papo de cadeira do papai. Na minha casa, essa cadeira nunca existiu. Mas várias casas de amigos meus tinham essa bendita cadeira. Sempre pareceram muito confortáveis. Mas na minha idílica infância, achava que se eu me arriscasse a sentar naquela cadeira iria despertar algum alarme que denunciasse que uma pivete ousou encostar na cadeira do papai. Eu admirava aquelas poltronas de couro preto, no canto do ambiente, como algo intocável. E me sentia minúscula perto delas.


Mas hoje se eu tivesse de dar um presente pro meu pai, compraria uma cadeira dessas. Mais exatamente essa.



Um comentário:

Maíra disse...

Que cadeira deliciosa, Ana!

A Bianca, filha do meu namorado, não deixa ninguém sentar na "cadeira do papai". Se você senta, ela te olha mortalmente e diz "Não pode, é do papai. Papai não deixa".